quarta-feira, 13 de abril de 2011

PSP louvou agente por se ter distinguido a fazer centros de mesa!!!??

Meu Deus, porque me abandonaste?
Tira-me deste manicómio que eu não sei andar nisto!
Um agente principal da PSP, depois de mais de 18 anos a "dar no duro" na messe de oficiais da Direcção Nacional daquela polícia, viu ser-lhe feita justiça no passado dia 23 de Março com um louvor. Nessa data saiu em Ordem de Serviço um louvor que, por certo, não esquecerá, assim como muitos outros polícias não irão esquecer: Foi distinguido, entre muita outra adjectivação porque “por vezes, tinha a capacidade de nos surpreender, nomeadamente, na elaboração de centros de mesa com recurso a flores e verduras dos jardins desta Direcção Nacional”.
“Louvo o agente principal (...) pela forma afável, muito digna, altamente meritória, extremamente competente e responsável como, ao longo de pelo menos 18 anos, na qualidade de empregado de mesa da messe de oficiais desta Direcção Nacional, tem conseguido assumir, com enorme discernimento, bom senso, elevada simpatia e total disponibilidade para com o serviço as funções que lhe foram confiadas”, diz o primeiro parágrafo do louvor. (...)
Casos como o dos centros de flores e verduras não são inéditos. Há cerca de três anos, na GNR, um militar destacado para uma messe de oficiais, foi louvado por ser exímio na confecção de sobremesas, delas sobressaindo as saladas de frutas. (...)
"in Público"
Viva Portugal. Viva a república das anedotas!

7 comentários:

joaquim adelino disse...

Li no Correio da Manhã esta linda peça de Museu. Fiquei também incrédulo.
Parabéns pelo seu blogue e por evidenciar estes disparates que se vão desenvolvendo por uma cambada de incompetentes.

Anónimo disse...

abandonas-te ou abandonaste? Por favor,escreva em condições se quer publicar algo...

Paula disse...

Anedota é aquele machista que postou este comentário!

Paula disse...

Logo vi que não sabe aceitar um comentário democraticamente!

Rei Parafuso Vadio disse...

Peço perdão aqui a este anónimo por me ter enganado a escrever abandonaste,é bom termos sempre estes burros carregados de livros(vulgo doutores de retrete)para nos corrigir,ainda por cima da maneira construtiva que o fazem,quanto á Paula,se alguém é machista é o jornal Público,limitei-me simplesmente a transcrever e aproveito para lhe dizer que lições de democracia não é a sra nem ninguém que me as ensina,sempre vivi sob os princípios da liberdade,igualdade e justiça social,por isso não sei qual a razão do seu comentário "Paula disse...
Logo vi que não sabe aceitar um comentário democraticamente!"

Anónimo disse...

Não é preciso ser um burro carregado de livros. É apenas necessário saber escrever na nossa língua pátria... Ah.. "língua pátria" não é um dito obsceno...

Anónimo disse...

eu abandonei
tu abandonaste
ele abandonou

eu abandono
tu abandonas
ele abandona

tu abandonas-te (entregas-te) à solidão
tu abandonaste (deixaste) a solidão

Sr. Anónimo, desculpe o atrevimento deste outro anónimo, mas justifica-se!!!